A Saga dos Jorge

a-saga-dos-jorge-editora-soares

Esta é a história do Pai Jorge, seu personagem principal, iniciador da família à qual pertenceu e começa contando sobre duas famílias portuguesas radicadas no Brasil, que depois de muitas peripécias, acabaram por se encontrar.

A conversão religiosa do Pai Jorge, é contada no início recuando posteriormente em busca dos antepassados, alternando fatos ocorridos com os ancestrais de uma família de sobrenome Pereira da Silva, residente na cidade do Porto em Portugal, com outra família residente no Arquipélago dos Açores, com o mesmo sobrenome, porém sem parentesco de uma com a outra, tratando-se apenas de coincidência.

Motivos e momentos diferentes, açorianos fugindo do terremoto de 1755 e os portenses, por pura ambição patriarcal, aportaram na Colônia Brasil. O grande comércio da época, a feira de muares de Sorocaba e as tropas que para lá seguiam desde Viamão, passando pelos Campos Gerais, entre as atuais cidades de Castro e Piraí do Sul onde, com o correr dos anos, tais famílias se radicaram e depois de diversas mudanças e alterações de rumo finalmente se encontraram.

São incontáveis as ocorrências enfrentadas por essas famílias, na sucessão das gerações, até que, em razão de uma festa religiosa denominada “Do Divino Espírito Santo”, ocorreu o encontro de Elisa, filha de José Teotônio, ela descendente dos portenses, com Martinho, dos açorianos, final feliz que resultou em casamento. José Teotônio, comparece à Paróquia de sua região onde se faziam os registros civis e pede que ao seu nome seja acrescentado o patronímico “Jorge”, por razões até certo ponto excêntricas. Homenagem ao avô paterno de nome George; e a condição de admirador do Rei George III da Inglaterra. Com essa atitude seu nome passou a ser José Teotônio de Almeida Jorge, tornando-se o primeiro dos “Jorge”, motivo que levou a receber o apelido de “O Pai Jorge”.

Na sequência, com as famílias já consolidadas e instaladas em Sengés, onde Pai Jorge se instalou na velhice, é feito relato sobre os herdeiros de Elisa e seu irmão Geraldo, o que aconteceu com eles e os rumos que tomaram; e sobre Sengés no decorrer dos primeiros tempos e a participação dos membros da família Jorge no desenvolvimento da região.

Formato Impresso:

15,3 x 22,7 cm

Quantidade de Páginas:

372

Obra Ilustrada:

Sim

ISBN:

978-85-92546-56-4

Autor(a):

Leniel Salmon Jorge e Raquel Jorge Kool

Sobre o Autor(a):

Leniel Salmon Jorge nasceu em Sengés (PR) em 13/01/1935, em lar cristão e de bom nível cultural. Viveu a juventude entre Curitiba e São Paulo, radicando-se nesta última cidade aos 18 anos, onde estudou e fez toda sua carreira profissional. Sempre foi ligado ao hábito da boa leitura e escrita. Aos 13 anos, em outubro/1948, declamou publicamente poesia de sua autoria nas festividades comemorativas dos 33 anos da instituição Instituto Cristão, em Castro (PR). Foi Contador, Adm de Empresas e Advogado Pós Graduado. Casado em 1ªs núpcias com Rosária Morano Salmon Jorge (falecida em 1987), com quem teve 2 filhos, Leniel e Adriana, ele falecido em 24/12/1993 e ela em 28/02/2015. Em 2ªs núpcias, casou em 1988 com Amélia Aparecida Gomes Jorge com quem compartilhaa vida e todas as suas nuances há trinta anos. Publicou 3 livros: “O Patrono das Causas Perdidas”, “Lá da Inha” e “Ao Pé da Pedra”, filosófico. Hoje aos 83 anos, continua sendo um leitor inveterado e grande observador das coisas da natureza e da vida. Raquel Jorge Kool, nasceu em Itararé (SP), em 12/08/1956. Casada com Marius Kool, holandês que emigrou para o Brasil com os pais em 1963, aos 4 anos de idade. Reside atualmente em Baldwin, Wisconsin, USA. Tem 4 filhos, Mauritz Kool casado com Liliane Coutto dos Santos e tem 4 filhos: Lavínia Victória, Renata Elisa, Lucca Anthony e Juliana e residem em Baldwin; Cristina Kool Koopman, casada com David Koopman, tem 2 filhos: Klaus e Breno e residem em Arapoti (PR); Débora Kool-Montsma, reside em Kollum, província de Friesland, Holanda, casada com Derk Jan Montsma e tem 2 filhas: Amy Janet e Nina Raquel; e Thomas Kool, solteiro, residente na Holanda, em Ottoland, província de Zuid Holland. Raquel e Marius residiram no Brasil até 2006, quando mudaram-se para a Holanda onde viveram por 6 anos. Convidados pelo filho Mauritz mudaram-se para os EUA onde residem.

Estado:

PR